Escritos Compilados de Blavatsky, Volume 7, página 301

[1 de abril de 1887]

[No início da primavera de 1887, H.P.B., enquanto estava em Ostende, ficou gravemente enferma. Com os rins gravemente infectados, ela ficava inconsciente durante horas de cada vez. A condessa C. Wachtmeister, que vivia com H.P.B. na época, chamou a Sra. Marie Gebhard, de Elberfeld, e o Doutor Ashton Ellis, da Loja de Londres. Uma conversa entre este último e o médico belga que atendia H.P.B revelou pouca esperança de recuperação. Foi decidido que H.P.B. faria seu testamento e que ele seria assinado na presença dos dois médicos, um advogado e o cônsul americano. Antes que este plano pudesse ser realizado, e aparentemente durante a noite seguinte a esta decisão, H.P.B. foi restaurada a uma saúde relativamente boa por seu Mestre que tinha vindo naquela noite e a curou. A ela havia sido dada a escolha entre morrer e viver para terminar A Doutrina Secreta. Mostraram-lhe as dificuldades e sofrimentos que ela teria que passar na Inglaterra para onde deveria ir. Ela escolheu permanecer em seu posto e continuar o trabalho. No dia seguinte, o testamento foi feito e assinado como planejado. Por algum tempo, este testamento deve ter estado nas mãos do advogado de H.P.B. em Ostende. Após a morte de H.P.B., em 8 de maio de 1891, a condessa C. Wachtmeister encontrou o advogado e foi informada que ele havia devolvido o testamento a H.P.B. Ela deve tê-lo destruído na época, uma vez que nunca foi encontrado entre seus papéis. Outro testamento elaborado mais tarde tomou seu lugar (Vide C. Wachtmeister, Reminiscences, pp. 71-75).
É bem provável que tenha sido nesta época que H.P.B. mandou alguém escrever em um pedaço comum de papel de carta suas diretrizes quanto à remoção de seu corpo após a morte. Este documento está possivelmente na caligrafia da condessa C. Wachtmeister e foi escrito em francês. É assinado por H.P.B. a caneta, com a adição dos três pontos. O documento esteve por muito tempo em posse do conde Raoul-Axel Wachtmeister (1865-1947), filho do conde Carl Wachtmeister e de Constance Georgina (de Bourbel) Wachtmeister. Ele deu-o ao seu amigo Axel Fredenholm, de Gotemburgo, Suécia; este último doou-o para os Arquivos do Compilador da presente série. O texto original em francês das diretrizes de H.P.B. é o seguinte:]

La soussigné Helena Petrovna Blavatsky, veuve de Monsieur Nicephor Blavatsky, particulier, résident actuellement à Ostende, mais domiciliée à Madras aux Indes, d’origine Russe naturalisée citoyenne des États Unies d’Amérique, née à Ekaterinoslav Sud de la Russie, le trente-et-un Juillet 1831 du mariage de feu le Colonel Pierre Hahn décédé à Stavropol au Caucase en 1874 et de feu Helene Andrevna Fadeew, décédée à Odessa le vingt-quatre Juin 1842, déclare par les présents qu’après son déces qu’elle veut que son corps soit transporté à Londre et autorise Madame la Comtesse (Wa) Constance Wachtmeister née de Bourbel à faire toutes les démarches nécessaires à cet effet. Ostende, le premier avril 1800 quatre vingt sept.

H.P. Blavatsky

[Mantivemos inalteradas certas imprecisões do francês. “Soussigné”, na primeira linha, deve ter dois “e”s; “résident” deve ter um “a” na última sílaba; “Unies” não deve ter “e” nele; “feu” deve ter um “e” na forma feminina; e “déces” devem ser “décès”.]

FACSÍMILE DAS INSTRUÇÕES DE H.P.B. PARA A CONDESSA CONSTANCE WACHTMEISTER

[TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS DO TEXTO ORIGINAL EM FRANCÊS]*

A abaixo-assinada, Helena Petrovna Blavatsky, viúva do Sr. Nikifor Blavatsky, uma cidadã residente atualmente em Ostende, embora domiciliada em Madras, Índia, de origem russa, naturalizada nos Estados Unidos da América, nascida em Ekaterinoslav, Rússia do Sul, no dia trinta e um de julho de 1831 [estilo antigo], do casamento do falecido coronel Peter Hahn, falecido em Stavropol, Cáucaso, em 1874, e da falecida Helena Andreyevna Fadeyev,§

––––––––––
* Traduzido do inglês (N. da T.)

† [Nikifor Vassilyevich Blavatsky, com quem H.P.B. se casou no verão de 1849. Ele era descendente de uma antiga família ucraniana originalmente chamada Blavatko. Tornou-se vice-governador da então recém-constituída Província de Erivan, no Cáucaso. A data de sua morte não foi definitivamente apurada, mas o período mais provável é depois de 1877. Ver Vol. I, p. xxxvi. – Compilador.]

‡ [Peter Alexeyevich von Hahn era filho do tenente-general Alexey Gustavovich Hahn von Rottenstern-Hahn e Elizabeth Maksimovna, nascida condessa Probsen. O general tinha sido uma figura famosa no Exército de Fieldmarshal Suvorov, tinha atravessado os Alpes em um local conhecido como Ponte do Diabo, no Passo de São Gotthard, e tornou-se comandante da cidade de Zurique na Suíça, durante o período de ocupação. De acordo com as evidências existentes, ele deve ter morrido antes de 1830. Seu pai, Gustav, imigrou para a Rússia no início do século XVII, sendo diretamente relacionado com o conde von Hahn em Mecklenburg, Alemanha. Peter Alexeyevich, pai de H.P.B., nasceu em 1798, e morreu em Stavropol’, Cáucaso do Norte, em algum momento no verão de 1873. Ele foi enterrado lá, de acordo com a própria declaração de H.P.B. (vide sua carta a Alexander N. Aksakov, datada de 3 de dezembro de 1874, em Modern Priestess of Isis (Sacerdotisa Moderna de Ísis) de Solovyov). Ele serviu por muitos anos na Artilharia da Cavalaria; depois de se aposentar, com o posto de coronel, tornou-se Chefe-Geral do Distrito de Grodno. Existia uma ligação muito estreita entre H.P.B. e seu pai, e ele a manteve abastecida com meios durante a maioria de suas viagens pelo mundo. – Compilador.]

§ [Helena Andreyevna de Fadeyev (1814-1842), mãe de H.P.B., era filha do Conselheiro Privado Andrey Mihaylovich de Fadeyev (1789-1867), governador da província de Saratov, e mais tarde diretor do Departamento de Terras do Cáucaso, e de Helena Pavlovna, nascida princesa Dolgoru. Esta última era uma pessoa muito notável. Ela era uma destacada botânica, uma mulher de realizações acadêmicas incomuns e de grande cultura, o que era muito raro para uma mulher desse período da história russa. Ela mantinha correspondência com vários cientistas, entre eles Sir Roderick Murchison

––––––––––

CONDESSA CONSTANCE GEORGINA LOUISE WACHTMEISTER
1838-1910
Cortesia de Axel Fredenholm, Gotemburgo, Suécia.

falecida em Odessa, em vinte e quatro de junho de 1842, declara pela presente que deseja que seu corpo seja levado, após sua morte, para Londres, e autoriza Madame a condessa (Wa) Constance Wachtmeister, nascida de Bourbel, a tomar todas as providências necessárias para este efeito. Ostende, primeiro de abril de 1800 e oitenta e sete.

H. P. BLAVATSKY

––––––––––
(1792-1871), geólogo britânico e um dos Fundadores da Sociedade Real Geográfica, que fez uma extensa expedição geológica à Rússia. Ela falava cinco línguas estrangeiras e era uma excelente pintora. Seu valioso herbário foi doado após sua morte à Universidade de São Petersburgo. Helena Andreyevna era a filha mais velha do casal acima mencionado. Muito cedo na vida, ela se tornou uma notável romancista, seu primeiro trabalho sendo publicado quando ela tinha apenas 23 anos. Seu casamento não foi feliz, principalmente devido à incompatibilidade e à incapacidade de sua parte de se encaixar no estreito ritmo da vida militar de seu marido. Em seus romances, ela imaginou a posição miserável das mulheres, sua falta de oportunidades e educação, e levantou o problema de sua emancipação final. Ela foi a primeira mulher na Rússia a fazê-lo por meios literários. Seus melhores trabalhos são Utballa, Jelalu’d-Din, Theophany Abbiagio e Lubonka. Ela escreveu sob o pseudônimo de Zinaida R-. Ela morreu aos 28 anos, e foi saudada pelo maior crítico literário russo, Byelinsky, como a “George Sand russa”.  – Compilador.]

___________

* Tradução de Marly Winckler